quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Zipora


Ao ler as poucas passagens bíblicas que relatam quem era Zipora, me deparei como a mulher de um importante líder israelita. No entanto sua historia é muito fragmentada, assim, para conhecê-la é preciso costurar cada parte da leitura para encontrar detalhes de sua identidade. Conhecida como a esposa de Moisés, ela pode ser comparada a tantas mulheres que perdem seu nome e passam a ser conhecidas como filha, esposa ou mãe de alguém.
Natural da terra de Midiã, Zipora foi entregue por seu pai, Jetro, a um forasteiro chamado Moisés, fugitivo do Egito, por ter matado um homem. Apesar disso, por traz dessa tradição de violência contra a vontade da mulher, vejo mulheres fortes que apesar de se submeterem com obediência à tradição de seu povo, mostram a força e dignidade de quem vive em um contexto patriarcal sobre discriminação ao real valor feminino. Demonstrando sua confiança em Moisés, Jetro lhe oferece hospedagem e sua filha, provavelmente a mais velha devido às tradições da época. Com o casamento e a concepção de dois filhos Gerson e Eliezer, Zipora se entranha ainda mais na história desse homem. Ela acompanha seu marido na volta ao Egito, junto com os propósitos de Deus para com ele.
Êxodo 4. 24 – 26, descreve o Senhor indo ao encontro de Moisés para mata-lo. Zipora de alguma forma sentiu a aflição de seu marido e agindo com ousadia e segurança o livrou da morte, ela age imediatamente, acreditando que a solução seria circuncidar seu filho, pois o mesmo ainda não o era, isso consistia a quebra do pacto abraâmico, uma pratica de obediência a Deus. O texto bíblico não descreve qual era a posição de Zipora no contexto ministerial de Moisés, no entanto em Ex. 4.25 ela age com muita firmeza. Assim posso vê-la, demonstrando seu senso critico e sua sensibilidade de mãe, mostrando mais uma vez ser uma mulher forte e marcante.
Zipora foi obediente ao seu pai, e provavelmente foi uma mulher agradável aos olhos de seu esposo. Durante o período de libertação do povo, ela já não se encontra mais na historia de seu marido, estava junto com seu pai como fala o texto de Ex. 18. Por ser a irmã mais velha, possivelmente ajudou na sustentação de sua família e parentela, ajudando seu pai em sua velhice e demonstrando seu compromisso com suas raízes.
Discretamente Zipora se mostra como uma mulher que mesmo sendo conhecida apenas como a esposa de alguém oferece a quem ler, uma história intrigante, de uma mulher de personalidade marcante e viva. Assim como ela, muitas outras mulheres ainda são conhecidas dessa forma quando merecem ser reconhecidas por sua própria história, por seu próprio nome.

3 comentários:

Enoque Rodrigues disse...

Fico feliz pois me exclareceu sobre esse assunto e abriu um leque pois realamete deixar mulheres como essa passar por esqucida é a mesma coisa de ir a guerra e deixar suas armas em casa, parabesn pelo comentario e que o senhor possa iluminar e abrir o seu entendimento.

Marcio Silva disse...

Essa interpretaçao desse texto é impressionante de tão equivocada.....incrivel!!

RAINHA DO EGITO ankhesenamon disse...

gostei